A história da decoração

A decoração sempre fez parte do cotidiano do homem, seja em forma de baloes ou de figuras personalizadas. É muito comum que as pessoas sintam a necessidade de decorar suas residências, assim como o ambiente de trabalho ou eventos no qual desenvolvem funções.

A ideia de pertencimento e identificação é inspiradora, pois através da decoração é possível desenvolver esses atributos, e consequentemente, adquirir satisfação pessoal e aconchego.

Acontece que a história da decoração perpassa muitos anos e contextos sociais, e mesmo diante desse cenário, a decoração ainda é considerada muito importante no cotidiano social.

Por isso, recomenda-se um entendimento aprofundado sobre o contexto histórico desse tema, tal como a sua relação atual na sociedade.

A decoração na antiguidade

A decoração sempre esteve presente no cotidiano humano, mesmo que em épocas distintas.

As civilizações antigas, por exemplo, os egípcios, gregos e romanos, utilizavam-se de inúmeros utensílios decorativos, simplesmente pela ideia de trazer significados para os espaços, como uma forma de expressão da identidade das pessoas presentes naquela época.

Os povos egípcios marcaram muito esse contexto. Inúmeros apetrechos já se tornavam decorativos, principalmente na forma de artes, esculturas, desenhos, moveis, cabanas e muitos outros, que eram revestidos e moldados através da ampla personalidade e ideologia social.

Dessa forma, além dos itens citados acima, outros utensílios variados eram decorados, principalmente com elementos que continham ouro, que representava todo o poder que as classes altas possuíam. Assim, já nesse período histórico, a decoração se desenvolvia e se tornou crescente e progressiva, sempre englobando vantagens como:

  • Sensação de pertencimento;
  • Criação de utensílios diferenciais;
  • Identificação e personalidade através dos elementos criados;
  • Entre outros.

Após as manifestações decorativas dos povos egípcios, a Igreja passou a se inserir nesse contexto, fazendo uso de todo o seu poder e dogma, expressando-se através de elementos decorativos com muito ouro, luxo e riqueza.

A prática religiosa se manifestou e ainda se manifesta através da decoração, pois os elementos que podem ser inseridos nesse contexto são vários. Assim, a decoração passou a ser instaurada em Igrejas de uma forma atraente e chamativa, com o objetivo de convidar mais adeptos de suas práticas.

Porém, iniciou-se um período que ficou conhecido como “A Idade das Trevas”, conhecido como uma forma de organizar um período histórico que ficou marcado por inúmeras deteriorações, principalmente em relação a artes gerais, decorações chamativas e outros interesses que não fossem religiosos.

Nesse período, houve uma grande “castração” de gostos pessoais, onde a decoração passou por um período simplista, sendo reduzida a mínimas manifestações e expressões.

Influências decorativas: Revolução Industrial

Após o fim desse período que ficou conhecido como Idade das Trevas, a Europa passou a inserir elementos decorativos, considerados chamativos e diferentes.

Principalmente no que diz respeito a ornamentação residencial das pessoas desse tempo, iniciando por consequência um novo estilo decorativo, que ficou conhecido como “Gótico” por ser único e inovador.

Ou seja, o ser humano sempre esteve envolvido com elementos decorativos, principalmente através do intuito de “melhorar” os ambientes, não só esteticamente, mas em relação a identificação social.

A decoração passou a ganhar maiores proporções quando começou a ser desenvolvida em grandes escalas, através da Revolução Industrial, sob influência de novos maquinários, balão promocional, acessórios em evidência, tecidos para utilização e inúmeros produtos, que antigamente eram trabalhados a mão.

Assim, esse período histórico é o marco da decoração, pois foi a partir dele que os elementos decorativos evoluíram sem pausas, até se tornarem o que são na atualidade, envolvidos em elementos de grandes estudos, proporcionados por profissionais atuantes de decoração.

Contexto atual: a decoração no cotidiano

Na atualidade, a decoração está presente em todos os espaços, e sua relação com a sociedade é de grande importância.

A partir dos elementos decorativos, que podem ser vários, como por exemplo quadros ou suporte de bexiga, é possível dar personalidade aos ambientes, que no período atual tem tido grandes influências em residências gerais e empresas.

Com o avanço da tecnologia e através da expansão do comércio, hoje em dia o que não falta são elementos decorativos.

Desenvolvidos com alta qualidade de material e técnica, existem profissionais especializados nesse setor, que desenvolvem inúmeros projetos para variadas finalidades, sejam elas residenciais ou para grandes eventos, contando sempre com elementos coloridos e suporte para balão metalizado.

O mundo se tornou muito visual, principalmente porque há a influência de muitos elementos visuais, que se encontram em todos os lugares, seja em forma de propagandas ou figuras atrativas.

Além disso, a atualidade é marcada por inúmeras realizações de festas, onde a decoração é utilizada em demasia, seja através de suporte para bexigas ou mesas decoradas, por exemplo.

A decoração, assim, passa por evoluções diárias, acompanhando o ritmo do mercado inovador, que todos os dias inclui novos elementos, cores e tintas, que são utilizados em demasia em projetos e obras decorativas.

A inserção de utensílios festivos no mercado se encontra em expansão, principalmente através da contratação de empresas de eventos e decorações, que utilizam-se de inúmeros recursos, como é o caso do suporte vareta para bexiga.

Dessa forma, pode-se concluir que a decoração sempre esteve presente em contextos sociais, e atualmente, mais do que nunca, possui grande força e presença, sendo aplicada através de profissionalismo e muita arte.

Deixe uma resposta